SOLING TUNING GUIDE 1995
By North Sails One Design

written by Matias Collins  on  July 5  of  2006 and read by 3289

print  
Rake
O rake do mastro é checado medindo o quanto o comprimento do estai de proa excede o
comprimento do mastro. Segure o estai de proa ao longo da frente do mastro e simplesmente marque
o estai onde estaria a superfície do convés. Se o estai é menor que o mastro, a marca deve ser no
estropo. Nós checamos nosso rake medindo a distância desta marca ao longo do estai de proa até o
convés. O rake standart é 28´´. Nós usamos esta regulagem para todas as condições.
Estais (Brandais)
Nossas cruzetas saem diretamente do mastro, sem curvatura para avante. Nós temos 5
regulagens para a posição proa/popa dos estais no convés, num percurso total de 12´´. Mesmo
quando nós usamos dispositivos separados para os superiores e inferiores, os carros movem-se
juntos.
- 0 a 3 nós: tudo a frente
- 4 a 8: 3 polegadas para trás
- 9 a 13: 6 polegadas ( meio curso )
- 13 a 15: 9 polegadas para trás
- 16 ou mais: tudo para trás
A tensão dos estais é medida com os estais laterais na posição média e os estais de popa
e proa totalmente folgados. Superiores 600 libras em todas as condições. Inferiores com ½´´ de sag
na cruzeta com vento fraco, aumentado a tensão a 600 libras nos 18 nós e 800 libras acima de 22
nós. Nosso estai inferior é rampeado ½´´ a mais que o superior para dar relativamente mais tensão
aos inferiores a medida que os estais são trazidos para trás no vento forte, e mais folga nos inferiores
a medida em que os estais são movidos para a frente no vento fraco.
Trim da escota da Grande e do Traveler
Acima de 7 nós, cace a escota da grande o suficiente para trazer a tala do tope paralela a
retranca. Em águas lisas e condições de orça máxima, cace o suficiente para estolar a tala levemente
a barlavento.
Em águas encrespadas, a tala do tope precisa sacudir levemente para fora. À medida que a
brisa aumenta você vai achar necessário usar mais tensão na escota para ajustar a tala. Esta tensão
na escota da grande, quando combinada com a do estai de popa, deve ser suficiente para deixar o
estai de proa sob controle.
Em vento fraco, a retranca deve ser posicionada acima da linha de centro. Acima de 8 nós,
ajuste o traveler suficiente para manter o leme e o adernamento sob controle. Assim que a brisa
aumenta, nós achamos melhores resultados aumentando a curvatura e twist do mastro ao invés de
folgar o traveler da grande.
Outras regulagens
0 – 7 nós: esteira folgada 1 ½ polegadas. Burro nenhum. Cunninghan nenhum.
8 – 14 nós: esteira folgada 1 polegada. Burro apenas suficiente para prevenir sacudidas do mastro.
Cunninghan caçado para eliminar metade das rugas.
15-20 nós: esteira toda caçada. Burro caçado o suficiente para prevenir sacudidas no mastro.
Cunninghan caçado para eliminar as rugas.
20 nós ou mais: esteira toda caçada. Burro pode caçar mais para aliviar o leme. Cunninghan cace forte
para ajudar a aliviar o leme.
Há duas coisas que o estai de popa faz: controla o enchimento da grande e o sag do estai de
proa. Este é provavelmente o ajuste mais importante do Soling. Quanto maior a tensão do estai
de popa, mais achatada é a grande e a tensão do estai de proa achata a buja. Eu tenho o meu estai de
popa marcado a cada 2 polegadas, então eu posso repetir rapidamente regulagens e ter o barco
rapidamente pronto após contornar marcas.
Tensão da escota da grande
A escota da grande controla a parte de cima da vela grande. O modo mais rápido e acurado
de trimar a mestra é cuidar a tala de cima. Olhando por debaixo da retranca a tala de tope precisa
estar paralela a retranca ou levemente mais ajustada a maior parte do tempo, a não ser em condições
sobre-forçadas. Em condições ideais (água plana) a tala top pode apontar 5 a 8 graus para dentro da
linha de centro e, quando sobre-forçada, ela precisa abrir da linha de centro até que force o leme.
Burro
Nossas velas são desenhadas de tal forma que é apenas necessário usar o burro em
algumas poucas situações. Para ventos folgados, eu uso o burro somente para evitar o pumping do
mastro, exceto em vento forte quando ocasionalmente eu uso o burro para aliviar o leme.
Traveler
A retranca deve estar acima da linha de centro, até os 2 tripulantes tiverem descido, então o
traveler deve ser folgado para reduzir tendência para orça no leme. O traveler deve ser folgado em
cada rajada acima de 14 nós, mas se o vento é estável, o estai de popa deve ser ajustado para aliviar
o tope da grande e o traveler deixado no meio. O máximo para fora deve ser cerca de 10 polegadas
em 15 a 20 nós.
Quando usando a buja V 1, comece com a escota no 2 o . buraco a partir do tope, quando a
vela é nova. Nós deslocamos a vela para cima ou para baixo do estai de proa para ajustar a testa, em
vez de mudar o buraco. Á medida que a vela envelhece, é necessário ir para o terceiro buraco.
Vento Buraco do punho Tack HGT Tensão do tecido Traveler da buja
0 - 3 3 3 ´´ Grandes rugas 12´´
4 - 6 3 3´´ Grandes rugas 10´´
7 - 10 3 2,5´´ Pequenas rugas 10´´
11 - 15 3 2´´ Sem rugas 11,5´´
Eu prefiro escolher a A1 a cerca de 12 nós, mas ambas as velas irão desempenhar bem de
10 a 15 nós. Quando usando a A1, coloque a escota no 3 o . buraco a partir do tope. De novo, desloque
a vela para cima e para baixo para ajuste da testa.
Vento Buraco do punho Tack HGT Tensão do tecido Traveler da buja
10 – 12 3 3´´ Rugas leves 10´´
13 – 15 3 2,5´´ Apenas liso 10,5´´
16 – 18 3 2´´ Liso 11´´
19 – 22 3 1´´ Liso 12´´
23 ou mais 3 0 Liso Para baixo o necessário


Artigo traduzido por : Ortega
print